projetoO segredo do sucesso para desenvolver um projeto está em priorizar , apesar do surgimento recente de inúmeros gadgets e ferramentas de comunicação colaborativas para o trabalho.

O efeito colateral mais perceptível disso é a sensação diária de que estamos sempre aquém do que gostaríamos de ter lido, estudado ou, até mesmo, se divertido.

A produção de conhecimento humano ganhou escalas gigantescas e o mundo, de fato, se tornou plano, fazendo com que as distâncias geográficas se tornem desprezíveis.

Talvez por isso, o que chama a atenção dos visitantes mais atentos de livrarias e bancas é a reincidência de publicações recentes que abordam essas questões – e sugestões para gerenciar melhor o tempo e as inúmeras atribuições diárias. Em uma pesquisa sobre a generalização da urgência para todas as demandas no ambiente de trabalho. No levantamento, entre os principais pontos dos chamados “inimigos da calma” foram apontados: ordens de última hora dadas por suas chefias, excesso de e-mails, reuniões improdutivas e a chegada de um novo projeto.

Como  no ditado popular, “quando tudo é urgente, na verdade, nada o é”. Esse conceito se baseia na correta leitura de que se tudo tem a mesma prioridade, não há como destacar nenhuma delas.  A partir do momento em que se generaliza a urgência das demandas torna-se difícil receber resultados com qualidade e na ordem necessária para um projeto.

Assim como no risco de ser simplista na avaliação do cenário de um projeto, não se encontra outra alternativa senão dizer que o indicado é planejar, planejar e planejar, pois somente com bom  planejamento – estruturado e estratégico –, as lideranças corporativas e de projetos conseguirão manter o foco nas reais prioridades e impedir as necessidades de atenção corretas de suas equipes.

Com o grau de desorganização e falta de ordem de urgência nas demandas de um projeto, adicionadas ao excesso de atribuições que a vida contemporânea dá aos profissionais, o resultado segue para a direção da improdutividade abstrata e insatisfação mútua – de lideranças e colaboradores em todos os níveis do projeto.

 

Fonte: iMasters