O Google sempre de olho no comportamento de busca identificou que a maioria das pessoas está usando celular para fazer pesquisa na internet.

De tempos em tempos o Google atualiza seu algoritmo para melhorar sua performance. Você já deve ter percebido que muitas pessoas já fazem buscas através do celular, e ao acessar um site, descobre que ele é difícil de ler e de navegar porque não está formatado para a tela de um dispositivo móvel. Com os celulares se tornando cada vez mais a principal porta de acesso à internet, o Google quer garantir que quando você fizer uma busca, encontrará conteúdo não só relevante e oportuno, mas também fácil de ler e de interagir.

Tornar os sites mais flexíveis também é uma questão para quem publica cada vez mais, os visitantes abandonam as páginas que não são para mobile. Uma pesquisa mostra que 74% dos usuários são mais propensos a voltar a um site que seja para mobile.

O gigante das buscas tem incentivado webmasters a criar páginas que evitem armadilhas como texto pequeno. Em novembro, o Google introduziu um certificado “mobile-friendly” para notificar os usuários quando um link nos resultados de pesquisa leva a uma página mobile e também o Google forneceu recursos para ajudar os webmasters nessa tarefa.

google

Agora o Google começa a implantar uma mudança que anunciou a dois meses para verificarem se um site é adequado a mobile, classificamos os resultados de buscas feitas a partir de celulares. Este é só um dos mais de 200 fatores que o Google leva em conta para elencar os resultados. Os sites não-mobile não vão desaparecer dos resultados de busca, eles inclusive, ainda aparecerão em posições altas se possuírem um conteúdo relevante para o usuário.

Desse jeito, se você usar a pesquisa do Google no seu celular, poderá encontrar mais facilmente resultados de alta qualidade e relevantes em que o texto é legível, os elementos clicáveis estão adequadamente espaçados e a página evita o conteúdo que não pode ser reproduzido e rolagem horizontal.

Em apenas dois meses (desde que foi anunciada a mudança), o Google percebeu um aumento de 4,7 pontos percentuais na proporção de sites para dispositivos móveis.

Fonte: Blog do Google