Por: Cândida Inthurn.

Trabalho em uma empresa de tecnologia. Há mais de uma década faço parte da equipe de marketing e este ano foi o ano da expressão “É a crise!”. A nossa equipe de marketing trabalha muito próxima às áreas comercial, de serviços e capacitação e muito frequentemente estamos interagindo, trocando ideias, planejando ações juntos e servindo de apoio uns aos outros. O trabalho flui muito bem, mas neste ano tivemos a tal “crise”.

Durante todo o ano de 2015, o marketing WK investiu tempo e dinheiro em mídias sociais e estratégias de inbound marketing. Estamos plantando as sementes e acreditamos que a colheita será certa. “Apesar da crise” decidimos trabalhar mais e melhor e optamos por não esperar que o solo se torne fértil através de algum milagre. E não é porque nós não acreditamos em milagres. Nós acreditamos sim! Mas acreditamos mais ainda em trabalho! Trabalho, planejamento e foco.

Alguns de nossos clientes resolveram “combater” a tal “crise” suspendendo seus contratos conosco. Pensaram: “Preciso cortar gastos!”. De fato, agora, estes não precisam mais pagar a licença de uso mensal pelo ERP e não terão mais versões atualizadas, nem suporte para melhorar a gestão de suas finanças, estoque, compras, custos, … É a crise! E decisões equivocadas são tomadas, infelizmente.

O fato é que se há mesmo crise, dizem os especialistas, o momento é agora para se investir em gestão. E um ERP pode, sim, eliminar retrabalhos, desperdícios, e mudar situações desfavoráveis para cenários mais produtivos e até mesmo de alta-performance.

Capacitação é outra vítima da crise. Nossa empresa tem investido muito em conteúdos variados e atuais para que pessoas e empresas possam vislumbrar raios de sol por entre as nuvens cinza do mau tempo. Disponibilizamos um vasto material no nosso “Ambiente de Conhecimento”. Isto porque nós acreditamos que se continuarmos a pensar e fazer as mesmas coisas, não teremos resultados diferentes e muito menos resultados melhores. Para isso, precisamos mais conhecimento. Precisamos investir em capacitação. Precisamos sair da caixa quadrada e escura que nos impede de enxergar oportunidades, crescimento, alternativas, soluções para os nossos processos e negócios.

Minha opinião sobre a expressão “É a crise.” é que esta se tornou uma desculpa rápida para dizer algo, sem estar dizendo exatamente alguma coisa. Em resumo: eu não fiz nada de concreto para mudar o cenário que, de algum modo, é desfavorável e acompanhando a onda coletiva, culpo “a crise”. Simples assim.

Por fim: não há como negar que os tempos são difíceis. Mas, definitivamente, a expressão “É a crise.” não combina com o DNA das empresas do Brasil, guerreiras desde o nascimento, corajosas, criativas, inovadoras, com pessoas verdadeiramente apaixonadas pelo que fazem.

Se você ou sua empresa acreditam ser maiores que a expressão “É a crise!”, deixe seu comentário na FanPage da WK.
Conte-nos o que você está pessoalmente fazendo para melhorar o dia-a-dia da sua empresa.

SE VOCÊ “VENDE LENÇOS, ENQUANTO OUTROS CHORAM”, PARABÉNS! ESTAMOS JUNTOS NESSA!

 

CandidaInthurnCândida Inthurn é Analista de Marketing da WK Sistemas. Graduada em Ciências da Computação e Design de Produto pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) e pós-graduada em Gestão da Qualidade e Produtividade pela FAE/CDE Curitiba/PR. Autora do Livro “Qualidade e Teste de Software” pela Ed. VisualBooks. Trabalha na WK Sistemas há 13 anos. Gosta de um bom “falatório escrito”, de cores, formas, design, marketing, arte, cultura, entrevistas e documentários.