Por Cândida Inthurn.

 

Há mais de 20 anos acompanho as histórias dos profissionais que trabalham na área de implantação de ERPs, seja efetivamente implantando os sistemas, prestando consultoria, ou ainda, capacitando as equipes nas empresas. Atualmente trabalho na área de Marketing, mas minha caminhada na área de desenvolvimento de software começou com a graduação em Ciências da Computação e cujos conhecimentos me abriram portas para a área de qualidade e teste de software.

Na área de qualidade e teste de software percebi no “campo de batalha” que grande parte da teoria aprendida na graduação simplesmente não se encaixava na prática. Estávamos lidando com enormes quadrados a serem encaixados dentro de minúsculos círculos. Tarefa impossível. As belas palavras dos professores faziam eco nas paredes das salas de desenvolvimento. Apesar das dificuldades, o fato é que enfrentávamos os bugs à mão com exaustivos testes manuais todos os dias, a cada compilação, e vencíamos muitas batalhas para, enfim, ganhar a guerra e liberar versões confiáveis ao mercado. Aos poucos os testes manuais foram sendo substituídos pelos testes automatizados, o que nos levou a outro nível em termos de qualidade e segurança de nossos softwares.

Pois bem. A implantação de ERPs é um “fantasma” que ronda a cabeça de muitos empresários. É uma área desconhecida, “estranha” para a maioria deles. Pairam sobre suas cabeças muitos pontos de interrogação, alguns maiores, outros menores, mas todos indicando incertezas quanto se aquele ERP que ele acabou de adquirir irá, de fato, atender as suas expectativas e resolver os problemas da sua empresa.

Interessante é que as histórias envolvendo implantações de sistemas, de certo modo, sempre carregam os mesmos aspectos, sejam estes positivos ou negativos. A ausência de um mapeamento detalhado dos processos do cliente, ou ainda, o levantamento de requisitos pobre ou feito superficialmente caracterizam, invariavelmente, implantações fracassadas ou, no mínimo, atrapalhadas. Por outro lado, um bom diagnóstico empresarial e a aderência à Solução que se pretende implantar garantem o cumprimento do escopo, dentro do cronograma e orçamento acertados. Não é novidade, portanto, que a área de implantação, exija também, planejamento. Um bom planejamento.

Acredito que os fantasmas que pairam sobre a cabeça de empresários também tem a ver, muitas vezes, com o fato deste não conseguir “visualizar” exatamente como será a implantação do ERP na sua empresa e não haver garantias sobre o que será executado. Basicamente, o empresário está preocupado com o andamento dos seus negócios, produtividade, lucratividade e se as atividades executadas no dia a dia serão afetadas de alguma forma e por quanto tempo.

Nestes tantos anos de experiência na área de desenvolvimento de sistemas nunca me deparei com fórmulas mágicas que pudessem substituir o conhecimento e o planejamento. Acredito que os dois precisam trabalhar juntos. A implantação de ERPs exige dedicação. Exige também envolvimento da empresa que desenvolve a Solução ERP e do cliente, desde os diretores, gestores, usuários-chave até as pessoas que não serão afetadas diretamente com a implantação, em torno de um mesmo objetivo. É preciso, também, romper barreiras, sair da zona de conforto e não resistir à mudança, pois esta resistência afeta negativamente a todos no dia a dia.

Meu colega Leonardo Pamplona, colaborador da WK, que possui quase 10 anos de experiência profissional em projetos de implantação e consultoria em empresas de vários portes e segmentos de mercado está certo: “A implantação de ERPs exige, de fato, muita dedicação e conhecimento das pessoas envolvidas, pois o sucesso da mesma pode ser considerado como um divisor de águas na organização. A transformação nas rotinas e nos processos internos da empresa é inevitável, e com esta espera-se o aumento da produtividade, lucratividade e tudo mais.

Com base em conhecimento e muitos anos de estrada – mais de 32 – a WK Sistemas desenvolveu uma metodologia exclusiva para gerar VELOCIDADE, SEGURANÇA, CONFORMIDADE AO ESCOPO e REDUÇÃO DE CUSTOS no processo de implantação do seu ERP. Se você tem interesse em saber mais, basta clicar aqui. Como eu já havia mencionado anteriormente, não se trata de “fórmula mágica”, mas de uma metodologia. Em resumo: conhecimento e planejamento andando de mãos dadas!

 

CandidaInthurnCândida Inthurn é Analista de Marketing da WK Sistemas. Graduada em Ciências da Computação e Design de Produto pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) e pós-graduada em Gestão da Qualidade e Produtividade pela FAE/CDE Curitiba/PR. Autora do Livro “Qualidade e Teste de Software” pela Ed. VisualBooks. Trabalha na WK Sistemas há 13 anos. Gosta de um bom “falatório escrito”, de cores, formas, design, marketing, arte, cultura, entrevistas e documentários. Dia a dia: para vencer os “fantasmas” internos, pensamento positivo e… muita ação!