compras

Gestão de compras e a competitividade andam juntas

A gestão de compras  é uma forma do executivo diminuir seus custos e aumentar a lucratividade de cada produto dentro do seu segmento.

A gestão de compras é uma atividade que é desenvolvida dentro da empresa que precisa acompanhar a informatização e se utilizar das novas tecnologias de compras e o gestor precisa  implantar de técnicas mais vantajosas que busquem a integração entre clientes e fornecedores, para aprimorar a qualidade de serviços e/ou produtos. Hoje com as facilidades de comunicação, que estão cada vez mais presentes no ambiente corporativo, as empresas podem obter tecnologia, bens e informações com facilidade e comodidade, acessando um sistema informatizado.

No entanto, particularidades como a localização geográfica e a atuação em conjunto também aumentam facilidades quando se fala na compra de produtos ou matérias-primas, o que significa também maior poder de barganha e maior competitividade no mercado.

A aquisição de matérias primas, suprimentos e componentes, representa um fator decisivo na atividade de uma organização. Na gestão de compras, as atividades  envolvem uma série de fatores como por exemplo a qualificação dos serviços, seleção de  fornecedores, previsão Mais >

fluxo-de-caixa

Como fazer um fluxo de caixa pra empresa?

O Fluxo de caixa é o registro das transações financeiras da empresa, deve ser levado a sério e todo dia o comerciante precisa “fechar seu caixa”.

 

O Fluxo de caixa precisa ser checado diariamente, toda empresa deve ter  o fluxo de caixa como companheiro do final do dia.

Aparentemente simples esta ferramenta é indispensável para quem quer manter as contas em ordem.  Entre saídas e entradas de dinheiro, todo empreendedor precisa saber o que estes números significam. Não é possível saber se a empresa tem lucro ou prejuízo.

Por onde começar?

Um fluxo de caixa ideal é aquele que leva dedicação e continuidade dos envolvidos. O primeiro ponto é separar as saídas de dinheiro de preferência em três grupos: fornecedores, despesas e outras saídas.

Dentro do grupo despesas, os especialistas sugerem a divisão em outras três sub-grupos: Administrativas, comerciais e comissões, por exemplo. No grupo “outras saídas”, coloque o que a empresa pagou para amortização de empréstimos, pagamento de tributos e investimentos por exemplo.

Do outro lado do fluxo, ficam as entradas, que costumam vir principalmente do que a empresa recebe das vendas.

Esta atividade deve ser realizada diariamente e depois de calcular o valor das entradas menos o das Mais >